Tag Archives: concurso

Ganhei o 29º Prêmio Angelo Agostini!

14 Jan

monica e cebola kiss

Esse post foi feito, na verdade, pro meu blog profissional, mas sinto pela repetição, não podia deixar de reproduzi-lo aqui!!)

Na última sexta-feira estava sossegadamente cortando o cabelo quando fui pega por uma notícia inusitada.

Uma mensagem enviada por Facebook me avisava que eu tinha ganhado o tradicional Prêmio Angelo Agostini em sua 29º Edição, pelos trabalhos publicados em 2012, na categoria “Melhor Roteirista”.

Fiquei olhando pro celular, pensando se acreditava. Não que esteja reclamando, mas… tá certo isso, produção?

Eu? Eu, ganhando prêmio? Meu nome só aparece na última página da TMJ, em letras minúsculas, e Assombrado só teve um capítulo até agora, lançado no fim do ano.

Eu nem SEQUER SABIA que estava concorrendo!

Resolvi entrar no site da premiação pra ter certeza, e lá estava:

angelo agostini post2

O troféu do prêmio, com meu nome logo abaixo =D

O Prêmio Angelo Agostini tem esse nome em homenagem ao 1º autor de histórias em quadrinhos do Brasil (Agostini fazia “As Aventuras de Nhô Quim”, que foi publicado pela primeira vez em 1869). Criado pela AQC – ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo), o troféu é dedicado a premiar os trabalhos 100% nacionais do ano anterior. É um dos mais importantes prêmios da área no Brasil, juntamente com o Troféu HQ Mix.

Escuto falar desse prêmio desde que me entendo por gente e me interesso por quadrinhos, mas nunca imaginei que um dia poderia GANHAR um. 

Logo começaram a aparecer os parabéns no Facebook enquanto eu ainda estava com um sorriso bobo na cara e tentando entender como uma coisa TÃO LEGAL me aconteceu assim, do nada!

O que mais me deixou espantada foi a seguinte observação do site:

angelo agostini post_A maior participação do público na história do prêmio… SEM uma lista de indicados. Ou seja, o votante podia escrever até o nome da mãe lá e mandar (claro que não ia valer, mas vocês entenderam). 8D

Eu não fiz campanha. Estava tão ocupada com os trabalhos que nem me lembrei de votar (infelizmente). E mesmo assim, houve um número de pessoas grande o suficiente pra se lembrar de mim espontaneamente e pôr meu nome naquela cédula.

Quão emocionante é isso?  Como manifestar a gratidão por cada uma dessas pessoas que se importou em pôr meu nome naquele espacinho virtual? ❤  Com certeza, muito mais do que as palavras podem dar conta. (Que ironia, meu trabalho ser escrever e ainda assim estar sem palavras!)

Só de ser quadrinhista num mercado tão pequeno e escasso pra material próprio aqui no Brasil, pra mim, sempre foi mais que um prêmio — um milagre. Muitos desenhistas acabam se dando bem desenhando pra fora do país, mas roteirista? É uma profissão fantasma, pouquíssimo reconhecida, sequer, e sem chances internacionais.

Sendo mulher, então…

É, eu sei que muita gente acha um saco esse papo feminista (sorry for you). Mas é fato que o meio dos quadrinhos é composto por uma maioria masculina, e embora tenha havido uma grande abertura para as mulheres após o boom do mangá, em geral essas garotas são talentosas desenhistas. O roteirista, esse espécime já estranho, tem poucos exemplares do sexo feminino. (De cabeça, me lembro da Montserrat do Studio Seasons, a Fran Briggs com quem trabalhei muito no meu início de carreira, Beth Kodama e Eddie Von Feu  — que não sei se ainda escrevem quadrinhos– , além da precocemente  falecida Rosana Munhoz, verdadeira lenda na MSP.)

O julgamento alheio é sempre duro quando você é minoria numa profissão.  Quantas vezes as pessoas falavam de trabalho com meu namorado (Marcelo, também roteirista), enquanto pra mim as perguntas eram sobre cosplay? Isso quando não atribuíam a ele histórias que escrevi. A velha ideia de que “mulheres que gostam de rosa, roupas e bonecas (como eu) são superficiais” me parecia estar implícita em muitas atitudes de pessoas com quem esbarrei — embora, claro, sempre tenha havido muitos caras e moças legais que nunca tiveram essa mentalidade estereotipada.

Mas a gente nunca deve achar que a realidade é tão ruim que não possa ser mudada.

Quando escrevi a edição nº 09, meu primeiro roteiro para a MSP, entre a indignação de um público que sentia sua infância “ultrajada” (e também encantamento de boa parte do público, apenas menos barulhento que os revoltados), não faltaram pseudo especialistas do mercado dizendo Turma da Mônica Jovem não passaria de três anos nas bancas.

E lá se vão nada menos que 5 anos produzindo material pra essa revista que está na edição 53… Anos em que a TMJ só se popularizou,  onde nada foi mais recompensador que ver os leitores empolgados com histórias que escrevi, e ver a ansiedade com que esperavam a próxima edição.

o-principe-perfeito

Capa da primeira história que fiz pra TMJ, “O Príncipe Perfeito” (Edição nº 9)

Se essa ambição que carrego desde criança — trabalhar com quadrinhos — hoje em dia é uma realidade, com certeza se deve a duas pessoas: o próprio Mauricio de Sousa, mais que um chefe, um visionário e um professor — ele que teve a ideia de me chamar pra escrever histórias da TMJ, “prs pôr um toque feminino, já que a personagem título é mulher” — e claro, meu namorado e herói, Marcelo Cassaro, que faz os layouts das histórias que escrevo, divide comigo as dificuldades de fazer um roteiro e tem o mérito de realizar todo o trabalho braçal e mais cansativo da tarefa. Sem eles, nunca teria realizado nem metade do que realizei; que dirá ganhar um prêmio que fosse.

mensagem mauricio

ação3

ASSOMBRADO, projeto autoral de anos, finalmente sendo publicado

Sempre tentei ter fé, mas quando poderia prever todas essas coisas incríveis que já me aconteceram? 

Trabalhar a adolescência da mesma personagem que eu lia na minha infância.

Escrever um dos momentos mais decisivos da história da Turma do Mônica (a edição “Quer Namorar Comigo”, em que Cebola pede a Mônica em namoro — mais de 400 mil exemplares esgotados!)

Graças a essa mocinha dentuça, poder trabalhar com os personagens de Osamu Tezuka (A edição dupla “Ouro Verde”, em que os personagens dos dois mestres se encontram).

 Ser convidada a publicar meu trabalho autoraL, “Assombrado”, atualmente saindo na Ação Magazine, pela Lancaster Editorial.

Viver, de fato, de quadrinhos.

E agora, ganhar um prêmio do qual sempre ouvi falar desde criança.

Tudo isso só me mostrou que John Updike estava certo: “Os sonhos podem tornar-se realidade. Sem essa possibilidade, a natureza não nos incentivaria a tê-los.” Realmente, nada é impossível.

2013 começou melhor do que eu poderia sonhar. Não sei o que o futuro me espera, mas ele sempre me surpreende — e pra melhor.

Se esse é o começo, então esse ano realmente promete!

Por sinal, a entrega do Prêmio é no dia 2/2/2013, no memorial da América Latina, e é aberto ao público. Adoraria ver vocês lá! =D

 

Advertisements

Ribbon Fashion Contest — A Final

23 Dec
Kakao e Kitty apresentando o Ribbon Fashion Contest!

Kakao e Kitty apresentando o Ribbon Fashion Contest!

No dia 16/12 (também conhecido como “domingo da semana passada”) rolou a final do Ribbon Fashion Contest!

O concurso ocorreu na tradicional convenção de fim de ano Ressaca Friends. Faziam bem uns três anos que não ia num evento de anime… só mesmo um concurso organizado pelas meninas do Kawaii Kei pra me fazer voltar a pisar em um! XD

Desde que ouvi falar do concurso, fiquei com vontade de participar simplesmente como incentivo pra finalmente tentar “entrar” no mundo lolita (eu sou assim, preciso de uma meta, senão, fico postergando…) Tudo o que eu queria era aproveitar o fato de que estaria me expondo em um palco como motivação para fazer o meu melhor (não digo que consegui, mas falo sobre isso mais tarde…)

O que dizer do concurso? Simplesmente uma delícia! Organizadoras dedicadas, participantes mega fofas, lindas e agradáveis. Só pelo videozinho a seguir já dá pra ter uma ideia, né?


Achei o julgamento super justo — e olha que são 15 e tantos anos participando de concursos e não é sempre que posso afirmar isso!  Mesmo sendo super difícil analisar  moda, achei que o 1º, 2º e 3º lugar foram mais do que merecidos, tanto no quesito “coordenação” como “acabamento”. Fiquei super feliz pelas vencedoras! Verdadeira inspiração! (E invejei a tattoo da Bia, a guria que tirou o 1º lugar, #falomesmo)

O toque final foi a surpresa que as meninas do Kawaii Kei fizeram para todas as participantes: todas nós ganhamos um corsage feito a mão como símbolo de nossa participação no concurso! Achei isso super fofo e emocionante, é uma lembrança delicada pra guardarmos pra sempre ou mesmo usarmos em coordinates (por coincidência, combinou direitinho com o meu!) Só mostra o cuidado e dedicação do pessoal do Kawaii Kei, que organizou o concurso! Tudo que essas meninas fazem realmente é com o maior carinho e amor, já que elas não ganham nada ao realizar tudo isso a não ser trabalho, e ainda se preocupam com esses pequenos detalhes e mimos !  ❤

74057_503253129715508_1104439980_n

Ange, 3º Lugar
(E eu ali no fundo de Robert)

Vika, 2º Lugar

Vika, 2º Lugar

537476_503253239715497_1636173185_n

Bia, 1º Lugar —  merecidíssimo!
(E a Bolsa da Vivienne Westwood que eu invejei XD)

563777_503252959715525_1664643236_n

Reparem na empolgação da criança à direita (eu) porque ganhou o corsage XD

korsage

Corsage lindo feito pela Kakao para as participantes do Ribbon Fashion Contest ❤

Só posso dizer uma coisa: que bom que eu não fui com o intuito de competir, porque eu não tinha a mínima chance =p Foi uma honra estar no meio de tantas meninas talentosas, uma mais linda que a outra! Verdadeiras bonecas que deram um show de criatividade com a difícil tarefa de apresentar DOIS coordinates — sendo que havia uma troca de roupa em 20 minutos,  sob um calor de rachar, em um camarim minúsculo que ainda por cima ALAGOU quando começou a chover.

Essa é a parte triste de concursos lindos como esse rolarem em eventos de anime, que claramente não estão preparados pra compreender a diferença entre J-Fashion e cosplay. Sabemos que o pessoal do Kawaii Kei foi super cuidadoso e pediu camarins grandes para que as concorrentes pudessem se trocar com conforto, mas a organização do evento, que sempre lidou com cosplayers (acostumados com o esquema “se vira nos 30”), providenciou apenas dois camarins tão pequenos que só caberiam uma pessoa por vez — o que seria totalmente inviável para que todas trocassem de roupa a tempo.

O resultado foi que num espaço onde só cabia uma pessoa havia três, se esbarrando pra se trocar às pressas, com maquiagens derretendo e transformando o lugar num forninho (já que não tinha saída de ar),  tendo que tomar o maior cuidado pra não sujar nem molhar seus vestidos e acessórios que não são nada baratos.

“Pô, Petra, e mesmo com tudo isso você achou o concurso legal?” Achei. Porque a experiência em eventos de anime já me ensinou que em geral é sempre bom não criar muita expectativa, esperar que tudo dê errado e aproveitar o que vier de bom. E HOUVERAM coisas boas.

Além do que deu errado não ter sido culpa da galera do Kawaii Kei (que ficaram muito angustiadas porque suas instruções não foram seguidas pelo pessoal do evento após tantas reunões), a parte legal disso tudo foi ver o senso de companheirismo das meninas, todas se ajudando, sendo compreensivas e simpáticas umas com as outras. Foram todas verdadeiras damas, e isso, PRA MIM, é o verdadeiro significado de ser uma lolita, independente de qual é o seu vocabulário ou como se segura uma xícara de chá =p

481626_401711736576088_1028974029_n

Posando pra foto!

EDIT: Leia o post da KITTY sobre o Ribbon Fashion Contest!

E como me senti no concurso?

No dia, com toda a correria e euforia, me parecia tudo maravilhoso. Estava feliz de estar ali, de estar conhecendo as meninas, de estar participando, everything at all.

9180_401707976576464_803562623_n

Cara de quem comeu e não gostou XDD

Mas — não sei se foi a bagunça (e falta de ajuda) na hora de me arrumar, o calor que fez a minha make derreter (e eu ter desencanado disso depois de uma hora), o fato de eu estar muito acima do peso ou todos os fatores juntos… o fato é que depois, analisando friamente, a real é que eu tenho que admitir que estava, de longe, a mais micosa das concorrentes. Além da falta de postura, eu estava mal arrumada — principalmente com o 1º outfit, que me caiu MUITO mal, com a blusa toda mal colocada pra dentro da saia, e o rosto brilhante de suor…. o HORROR.  

Se eu tivesse conseguido me ver direito (os espelhos lá eram BEM mal posicionados), eu pensaria duas vezes antes de subir no palco. Pra completar, estava totalmente desengonçada e saí fazendo careta em todas as fotos ^^”  #tenhoquerirpranãochorar

Torço muito pra ser anônima o bastante nesse meio pra tanto, mas se eu aparecer em algum ask da vida sendo xingada de ita, vai ter sido por merecer.

Fazer o quê. Que sirva de motivação pra eu melhorar em todos os sentidos — postura, peso e aparência.

Enfim, tudo é uma experiência. O primeiro passo foi ter conseguido chegar na final. Tomara que numa próxima eu esteja melhor e mais à vontade comigo mesma. 

Ribbon Fashion Contest ~ Classificada =D

9 Dec

4077d43e6c174cfc4b1a9224b7c6b5a8Ontem acabou a seletiva online do Ribbon Fashion Contest!

E eu fui uma das escolhidas!! =O

537555_175806329232159_143056327_n

O ranking foi:

1º – Gabriela (693 likes)
2º – Camila (431 likes)
3º -Petra (337 likes)
4º -Júlia (245 likes)

Confesso que tou meio abestada!  ❤

Quer dizer… sei que vai ter gente que pode achar que é hipocrisia ou falsa modéstia, afinal já participei (e ganhei) de muito concurso de cosplay por aí. Só que moda lolita não é cosplay, né? Tanto que enrolei anos pra tentar me arriscar com looks de J-Fashion porque com tantas regras a seguir, eu morria de medo de ficar ridícula… usei o concurso justamente como motivação, porque sabia que se dependesse só de mim, ia ficar enrolando e não usar nada do que tinha adquirido por falta de coragem.

Mas pelo contrário, fiquei comovida (sério) com tantas demonstrações de apoio e carinho dos amigos (e do meu namorado, claro <3), e surpresa com os elogios que recebi ao meu outfit. Não sei se foi sorte de principiante — só vou descobrir tentando os próximos looks — mas confesso que fiquei mais que contente por (pelo que me disseram) não ter errado nada e ainda ter conseguido ser minimamente original =D

Agora tenho que me preparar pra final, que é no próximo fim de semana, dia 16/12, onde teremos que nos apresentar com dois outfits. Montei um look um pouco mais elaborado (ao menos tem mais peças…) e embora simples, acho que pode ficar bem legal ^_^ Já o segundo look… não sei se repito esse, que pareceu fazer sucesso, ou se tento algo novo. Talvez simplesmente repita, já que ninguém viu esse ao vivo =)

Confesso que não espero ganhar nada, afinal sei que vai ter muita gente lá melhor e muito mais experiente que eu. Mas só de ter conseguido ir pra final, sinto que foi o que eu precisava pra minha auto estima e confiança =D Esse empurrão simbólico já foi o meu prêmio! =D